História de São João do Paraíso

A ORIGEM DO NOME SÃO JOÃO DO PARAÍSO

Segundo relatos toda a área do município era pertencente a um só proprietário, o Conde da Ponte. Uma das maiores propriedades do Conde da Ponte era a Fazenda Vereda do Paraíso, com cerca de 64 léguas quadradas onde viveram muitos escravos e que fora vendida a uma velha escrava alforriada.

A região que hoje corresponde a cidade de São João do Paraíso, surgiu de uma fazenda denominada Fazenda Paus Pretos, sendo os primeiros moradores as famílias de José do Bomfim e Calisto Borges.

Devido a uma grande crise no interior baiano, muitas famílias vieram procurar trabalho na fazenda Paus Pretos, começando assim a crescer a população, surgindo assim a vila.     
    Nesta época a maioria da população era bastante pobre. A maioria se alimentava mal, andavam descalços e eram analfabetos, vivendo basicamente da cultura de subsistência, arroz, feijão, milho, mandioca, etc.
    Relatos antigos mostram que os índios Chacriba e alguns Tapuis, foram os primeiros habitantes da região e que habitavam as margens dos rios.
    Os comerciantes que passavam por esta região eram chamados de cometas. Usavam burros para o transporte de suas mercadorias que levavam para comercializar em outras povoações e aproveitavam para também trazer produtos que em seus lugares de origem não haviam. Estes comerciantes as vezes estabeleciam-se em locais que lhes pareciam interessantes.

    A segurança nesta região, por não existir policiamento, era feito pelos Bate-paus, pessoas escolhidas pelos moradores locais para que defendessem a localidade de malfeitores que por ventura pudessem aparecer por ali. Por não existir cadeias, os presos eram colocados em troncos existentes dentro do mercado onde ficavam expostos.
    Por volta do ano de 1877, o fazendeiro Leolino Borges de Carvalho doou uma porção de terra para que nela se construísse as primeiras casas ao redor da primeira Igreja edificada na vila. Nesta mesma época, reuniram alguns moradores e se construíram um conselho distrital e adquiriram de um outro fazendeiro, Everaldino Jose Ribeiro, outra porção de terras para ampliação do povoado, ficando este subordinado a jurisdição da cidade de Rio Pardo de Minas.
    O casamento religioso era o que prevalecia. Quando acontecia algum ato de bigamia a pessoa acusada era expulsa daquela sociedade, independentemente de ser homem ou mulher.
Naquela época não existiam escolas e aquelas pessoas que possuíam um maior poder aquisitivo contratavam professores homens que lecionavam para seus filhos por tempo integral, como não tinham relógios, se orientavam pelo sol.
    Mesmo enfrentando muitas dificuldades a vila foi crescendo e de Fazenda Paus Pretos, levou o nome de     Raposinha dos Paus Pretos.
    Mais tarde quando o Padre João Pereira de Itapecerica trouxe para o local uma imagem de São João Batista, e passa a chamar São João da Raposa.

    Anos depois, os moradores daquela região resolveram procurar um nome mais apropriado para o local. Resolveram adotar o nome de São João do Paraíso, isto devido a calma paradisíaca do lugar.

    E assim a vila vai se desenvolvendo e e construída a primeira igreja, a religião católica era a única existente.
No decorrer dos anos vieram os primeiros professores e depois o primeiro medico, o Dr. Osório Adriao da Rocha, que atendia gratuitamente.
    A taxa de mortalidade infantil era elevada, pois as condições de saúde eram precárias, pois não haviam água tratada, esgoto, nem qualquer outro tipo de praticas de higiene. As doenças que mais acometiam aquela população eram a catapora, sarampo.coqueluche e o mal de sete dias. Esta ultima era a que mais vitimava os recém-nascidos devido as praticas de cura do umbigo. Por tradição as parteiras colocavam esterco de gado e fumo torrado para a cura rápida no umbigo da criança. Tal pratica acabava por provocar o mal de sete dias Tétano.

    Naquela época não se conhecia ainda o automóvel. O meio de transporte mais conhecido era os burros, mulas e carros de boi.

    As correspondências eram trazidas pelo estafeta, funcionário dos correios que vinha a cavalo e dependendo da distancia e do tempo, demorava ate 50 dias de viagem.
    Devido a grande imigração de pessoas de algumas cidades da Bahia, a população cresceu bastante, chegando a alcançar sua emancipação em 31 de dezembro do ano de 1944, através da Lei numero 1058, quando passou de distrito a município.
   
O primeiro prefeito da então emancipada cidade de São João do Paraíso foi o medico Dr. Osório Adriao da Rocha, quer alem de clinicar passou também a administrar o município. Vale lembrar que o então Prefeito  fora indicado pelo Governador do estado, na época o Dr. Benedito Valadares, exercendo o mandato de Prefeito por doze anos consecutivos.

CARACTERIZAÇÃO GERAL DO MUNICÍPIO

Aniversário - 01 de Janeiro
Fundação: 1943
Área da unidade territorial: 1.921 Km2
Prefeito 2005/08: José de Sousa Nelcy - PL
Vice-prefeito: Antônio Pereira Neto - PL
    
    Conhecido como a capital mundial do óleo de eucalipto e do doce de marmelo, o Município de São João do Paraíso situa-se na zona itacambira , ao Norte de Minas Gerais, limitando-se com os Municípios de Taiobeiras , Águas Vermelhas, Berizal , Montezuma , Indaiabira , Ninheira , Cordeiros e Vargem Grande.
     É o município de melhores índices de desenvolvimento social e econômico da região, excetuando-se Montes Claros. Estes índices tornaram o município um natural pólo de atração para os vizinhos
.

     A economia do município está baseada na produção de Óleo de Eucalipto e do Doce de marmelo, e no comércio. Sua população é de 21.010 conforme censo realizado no ano de 2005.
                                  UM POUCO MAIS DA HISTÓRIA

A região onde hoje está localizado o município era habitada pelos índios tapuias, até que o Conde da Ponte recebeu da Coroa as terras que iam até a fronteira da Bahia, abrangendo boa parte da bacia do rio Pardo. Suas terras continham todo o território do atual município. No começo do séc. XVIII, a propriedade do Conde da Ponte estava arrendada na forma de fazendas. Em 1833, é criado o distrito de São João da Raposa - assim chamado devido à abundância de raposas na região , ligado ao município de Rio Pardo. Em 1888, por iniciativa de Raimundo Meireles, descendente de um dos primeiros povoadores, foi doado um terreno para a construção da capela de Nossa Senhora da Saúde, às margens do rio São João. Com a sêca de 1890, as terras férteis da região atraíram muitos retirantes, e o arraial ganhou forte impulso, tornando-se importante centro comercial e passando a ser conhecido como São João do Paraíso. Torna-se município em 1943.

Fonte de pesquisa: IBGE/Biblioteca Municipal
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

São João do Paraíso

     São João do Paraíso, cidade localizada no Norte Mineiro, nas encostas do Rio São João, é uma das cidades mais promissoras de todo o Estado da Minas.

     Sua localização geográfica privilegiada , dista 846 km da capital por via rodoviária. Isso facilita o acesso aos grandes centros do estado e do país, permitindo uma projeção otimista para o seu futuro. Totalmente contextualizada aos padrões da modernidade, conta com uma boa infra-estrutura, com ruas arborizadas e em ótimo estado de conservação, comparável às grandes cidades do sul e sudeste do Brasil. O seu IDH está em plena ascensão, fato que desperta o interesse de empresários das mais diferentes regiões do país.

     O município possui uma rede hoteleira à altura de pólos turísticos, contando com uma posição geograficamente estratégica. O padrão de excelência no atendimento, tanto nos hotéis quanto nos restaurantes, proporciona aos turistas e visitantes um clima agradável, provando que a cidade tem vocação natural para cidade anfitriã. Com certeza quem conhece Brumado jamais esquece sua hospitalidade e sua maneira singular de receber os seus visitantes.

     Brumado conta com hospital público de médio porte, de um centro odontológico(projeto BRASIL SORRIDENTE), de diversos postos de saúde da família, além de algumas clínicas particulares. A Secretaria Municipal de Saúde segue um cronograma traçado pela nova administração, segundo o qual, ainda neste ano, pretende atingir a Gestão Plena de Saúde , e permitirão a ampliação do hospital ,  dentre outras ações de media e grande complexidade médicas.

     Outro avanço conquistado foi a via asfáltica, ligando São João do Paraíso às outras cidades mineiras , uma das maiores reivindicações de seu povo. Agora, a cidade conta ainda com uma barragem , recém liberada.

     A base de sua economia é constituída de produção de óleo de eucalipto e doce de marmelo. Há, no município, uma gama de 12.000 hectares de eucalipto em área própria . Os minerais explorados em escala industrial são: magnesita e talco, existindo outros minerais tais como: vermiculita, dolomita, cristal de rocha e granitos os mais variados.

Fonte: Site Prefeitura de São João do Paraíso.

São João do Paraíso Há:

Belo Horizonte

 

 

 

746 Km

Brasília

 

 

 

1022 Km

São Paulo

 

 

 

1330 Km

Rio de Janeiro

 

 

 

1195 Km

Vitória

 

 

 

1300 Km

Montes Claros

 

 

 

328 Km

Taiobeiras

 

 

 

71 Km

Vitória da Conquista

 

 

 

220 Km